CONTRA OS ABUSOS DO PODER VENHAM DONDE VIEREM
Sexta-feira, 7 de Setembro de 2007
A foto da semana

Lamego em festa

 

 

 

            Hoje é a grande noite das festas da Cidade de Lamego, a terra que me viu nascer. Festas em honra da Nossa Senhora dos Remédios, a padroeira da cidade.

            O texto que se segue foi retirado do livro de contos "Travessia" de Costa Monteiro (Editorial Escritor, Novembro de 1966)

 

 

            A romaria começa no dia sete de Setembro. Pela tardinha, sai de casa a família Fonseca, junta­mente com vizi­nhos e amigos da terra. Enquanto dançam ao som do tambor e da gaita-de-beiços, fa­zem a pé os quatro quilómetros que os separam da festa. À cabeça da Albertina, a cesta com o farnel. Às costas do Jerónimo, pendurada na volta da bengala, a trou­xa com as mantas para passar a noite, que em Se­tem­bro são frias. O indispensável garra­fão de tinto re­vezava-se nas mãos dos filhos, um de cada vez, com todo o cuidado para não se partir.
            Chegados à cidade, assentam arraiais onde haja espaço para abancar e ver o fogo. Comida parte da merenda, molhadas as gargantas, os velhos fi­cam pacientes a tomar conta da baga­gem, a ver a festa, os foguetes, as bandas de música e os Zés Pe­reiras, a fazer tremer as paredes com as bati­das nos enor­mes bombos. Os novos e respectivos na­mori­cos, a cantar e a dançar, desaparecem mistu­rando-se com a multidão em festa. Cotovelada aqui, em­pur­rão acolá, rompem a custo, avenida acima, em direcção à escura mata dos Remédios...
            No dia seguinte, alvorada de foguetes. Há que subir o escadório até à igreja, para cumprir as promessas. A Albertina e a Rosa dão umas quantas voltas de joelhos ao altar-mor e o Jerónimo compra uma estante (estampa) da Virgem que coloca na fita do chapéu para comprovar a sua devoção. Comido o resto da merenda debaixo duma árvore, toca a regressar à cidade para assistir à majestosa procissão de tri­unfo.
            Anunciada por foguetes, sai da igreja das Chagas, percorrendo a cidade até Santa Cruz, uma imponente procissão de cenas bíblicas a acompa­nhar cinco enormes carros alegóricos, cada um de­les puxado por juntas de bois ajaezadas a preceito. No último carro, domina o cortejo a ima­gem vir­gem coroando a popa de uma elegante barca forra­da a cetim azul, a barca da vida. Andores carre­ga­dos de anjinhos, muitos deles de cabeças caídas, vencidas pela fadiga e pelo sono. No final, o inevi­tável pálio levado pelos notáveis da terra.
 


publicado por Fernando Vouga às 21:35
link do post | comentar | favorito
|

4 comentários:
De João Raposo a 7 de Setembro de 2007 às 23:51
Assim era mas já não é.
A "festa" actual é uma cópia das "festas" que se fazem de Norte a Sul.
Tipicidade nula (o romeiro do farnel e dos ranchos há muito desapareceu).
Ás 2h da manhã do dia 8 a cidade está deserta...
Quanto à procissão, já não há "luta" para levar o pálio...
É o "progresso".


De Fernando Vouga a 8 de Setembro de 2007 às 16:24
Tive um colega na Escola Primária de Lamego de apelido Raposo... Foi nos anos 40.
Pois caro amigo, quiçá conterrâneo, foi com muito pesar que li o seu testemunho. Mas o mundo é mesmo assim, trocam-se uns males por outros. Mas a vida continua. E Lamego, uma cidade milenar, vai continuar a ser Lamego. Pelo menos enquanto não começarem a urbanizar o parque dos Remédios e seu escadório .

Um abraço


De João a 8 de Setembro de 2007 às 17:40
http :/ www.mamarrachos-douro.blogspot.com /

Veja como se destrói o que tão bem conheceu!
Veja alguns dos resultados da incultura, sofreguidão do lucro fácil e estupidez.


De al cardoso a 11 de Setembro de 2007 às 08:18
E festa de que gosto e ja assisti tambem a linda procissao. Voce e natural de uma terra muito bonita!
Parabens.


Comentar post

gse_multipart60608.jpg Tomates.jpg Santana Lamego
pesquisar
 
Setembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Notas recentes

Dúvidas

Quando fala a ignorância....

Não será com mel que se a...

A nega de Temer

Lamego Monumental

A arte de distorcer

Uma questão de padrinho

Ele há cada alarve!

Culinária Gourmet

Convite

Favoritos

Deixem os amigos em paz

Para onde vais, América?

Arquivos
Tags

todas as tags

Blogs amigos
Mais sobre mim
GALERIA FOTOGRÁFICA
Xangai
Nepal
Brasil
Praga
Visitas
free web counter
blogs SAPO
subscrever feeds