CONTRA OS ABUSOS DO PODER VENHAM DONDE VIEREM
Quarta-feira, 13 de Julho de 2011
Traidores...

Imagem retirada da NET

 

 

          “Não me sento com traidores” foi a desculpa pouco credível, para não dizer esfarrapada, de que o Sr. Presidente do GR da Madeira se serviu para fugir a um debate televisivo com um candidato da oposição a propósito das próximas eleições regionais.

          Convém aqui recordar que o cidadão Pinto de Sousa, durante os seis anos da sua catastrófica governação, pelo menos teve sempre a coragem de enfrentar cara-a-cara as oposições, nomeadamente na Assembleia da República e nos debates apresentados pelos vários canais da televisão. Quantas e quantas vezes ouviu o que não gostou, mas nunca se acobardou e aguentou-se firme que nem um penedo. Claro que sabemos bem que tinha uma rara habilidade para fugir às questões e que as suas intervenções não tinham por finalidade esclarecer seja quem for, mas sim malhar nos opositores. Mas temos de reconhecer que essa sua postura tinha algum mérito democrático, apesar de tudo.

          Ao contrário, o Sr. Presidente do GR-M, faz lembrar um jogador de futebol que só marca grandes penalidades se o guarda-redes não estiver na baliza… É que nem aparece na ALR, nem enfrenta opositores na TV. 

          Convenhamos que, neste particular, Sócrates nunca desceu tão baixo.



publicado por Fernando Vouga às 14:10
link do post | comentar | favorito
|

8 comentários:
De Polo Simples a 13 de Julho de 2011 às 16:30
Não sei se será bem assim, Sócrates desceu ainda mais baixo, riu-se de todos e diante do nariz de cada um.
Há bons e maus actores e Jardim não passa afinal de um mau comediante enquanto que Sócrates se limita ao teatro dos Robertos de rua…estando cada um no seu domínio, acho que tanto Sócrates como Jardim não passam de “saltimbancos” de feira.
Defendermos a democracia de Sócrates, acho bem porque estamos a apenas dar relevo à má qualidade do eleitor português que tanto na Madeira, como no Continente, não passa de um “guignol” do século XIX.
Uma vez mais se confirma que Portugal tem mesmo o que merece e em todos os âmbitos.

Um povo com qualidade tem dirigentes de qualidade.


De Fernando Vouga a 13 de Julho de 2011 às 18:09
Caro amigo

Sem contrariar o que diz — a sua opinião é respeitável —, peço-lhe a atenção para um pormenor. No último parágrafo da minha nota eu escrevi "neste particular", o que quer dizer que no resto...


De Polo Simples a 13 de Julho de 2011 às 18:48
Tem toda a razão, passou-me desperciba essa sua "nuance" e lamento não ter tomado a devida precaução.


De Costa Cabral a 14 de Julho de 2011 às 23:38
Esta é que eu não esperava ! Defender Sócrates para atacar Jardim. Com tanta coisa ao dispor para criticar o Único Importante, não dá para perceber porque se fazem elogios ao Pinóquio. De facto não havia nechexidade ! Pelos vistos, apesar de tudo, há quem continue a achar que a saída de Sócrates foi uma grande perda para a governação...Ah, já me esquecia que estamos num país ainda livre...


De Fernando Vouga a 15 de Julho de 2011 às 15:33
Caro amigo

Tem sentido de humor...
Com efeito, as catilinárias do Único Importante (UI) já nem me incomodam. O senhor vive num mundo de sonho e famtasia que julga que criou. Mas tal não o impede de viver num inferno por causa dos cavilosos traidores, merecedores de todos os insultos. Gentalha que se apraz em contrariá-lo, só para lhe dar cabo da cabeça...
O que me incomoda é haver ainda tantos lambe-botas que se prestam a idolatrá-lo (e disso beneficiar...).

Quanto ao "engenheiro", recordo uma homilia que ouvi há décadas, quando ainda acreditava em bruxas, em que o oficiante dizia que o diabo tinha uma qualidade, a de ser esperto. É que ninguém, mesmo tentando com afinco, consegue fazer tudo mal. Até porque está sujeito a enganar-se.


De Jacaré Tem Dente a 15 de Julho de 2011 às 17:00
É facto e têm toda razão.
O lado curioso é que nenhum correspondente toca no ponto que (confesso) mais me perturba:
- A pouca cultura do nosso eleitor.
Toda a desproporção reside na ignorância básica de que esta nação (soberana (?)) é constituída, vejam os nosso professores, as nossas escolas, as nossas universidades, como são os nossos agentes de comunicação…e mais, muito mais infelizmente.
Mais um século de tempo de reacção e estaremos “então” como estão os Alemães de hoje…porém, sempre apressadinhos…, PORTUGUESINHOS QUE SOMOS, de conseguir aquilo que outros o conseguiram muito antes e com a mobilização da inteligência; COISA QUE PORTUGAL NÃO FAZ !
Na nossa cultura, aquele que tiver o tom de voz mais elevado é o que tem razão…e o homem que grita, como bem o sabemos, nem sempre é o que tem razão.
Andamos todos a gritar para NADA.


De Fernando Vouga a 15 de Julho de 2011 às 19:30
Caro Jacaré

Mas, ao longo de oito séculos, a cultura tem sido sempre desprezada porque tal convém ao poder. É de propósito, acredite..
Como afirmei há tempos, num país de doutores não há ninguém para cultivar as batatas e os feijões. E o que seria do "Povo Superior" se todos fossem cultos?


De Jacaré Tem Dente a 16 de Julho de 2011 às 01:10
Mas sabe Senhor Fernando Vouga, quando os de cima não sabem, ou não são capazes de puxar pelos de baixo…as coisas não podem evoluir.
E se não, veja quem são os nossos professores, quem são os nossos ministros da cultura, quem são esses “cagandistas” (palavra da qual me apropriei em Deprofundis), quem são as pessoas sérias desta Soberana Nação que se diz Portugal ?
Poucos, muito poucos e sem meios, e que se dirigem a um POVO DE SURDOS, sem “eira nem beira”.
Lixo Caro Senhor Fernando Vouga, veja que nem a nossa História “eles”, os ditos historiadores, a sabem contar.
Tive um dia a chance, o privilégio, a vantagem e a honra de ler “O Portugal Quinhentista” do (verdadeiro) Historiador o Prof. Dr. Oliveira Marques e, creia, tudo está explicado nesse sucinto Livro, quem somos e como somos, entretanto Senhor Fernando Vouga, o problema que surge é de sabermos QUANTOS SOMOS REALMENTE !
Ao longo de 8 séculos que a nossa cultura tem sido desprezada, porém, e diga-se, o Vaticano é responsável e, diga-se também que a estupidez deste nosso povo assim o consentiu.
Acredite que os (pseudo) doutores nunca saberão plantar feijões e que os “instrutores” que se dizem mestres e doutores das nossas universidades, Senhor Fernando Vouga, muito pouco ensinam, creia que não passam de “cagandistas” baratos.
O Presidente Ford disse-nos um dia que o mundo estava cheio de destroços com diplomas e creia que acredito nesta verdade.


Comentar post

gse_multipart60608.jpg Tomates.jpg Santana Lamego
pesquisar
 
Setembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


Notas recentes

Dúvidas

Quando fala a ignorância....

Não será com mel que se a...

A nega de Temer

Lamego Monumental

A arte de distorcer

Uma questão de padrinho

Ele há cada alarve!

Culinária Gourmet

Convite

Favoritos

Deixem os amigos em paz

Para onde vais, América?

Arquivos
Tags

todas as tags

Blogs amigos
Mais sobre mim
GALERIA FOTOGRÁFICA
Xangai
Nepal
Brasil
Praga
Visitas
free web counter
blogs SAPO
subscrever feeds